Casal Amoroso = Família em Harmonia

Eu creio que as relações amorosas e os laços familiares sejam a base de toda a estrutura social. Por isso, o vínculo entre os casais merece ser melhorado e revigorado constantemente. Nenhum outro tipo de interação humana tem o seu poder: uma alavanca para nos tornarmos verdadeiramente pessoas, nesse caminhar a dois.

Manter uma relação longa, estável e duradoura é trabalhoso, pois é preciso dedicação e empenho, para que possamos compreender e apreciar a pessoa que está ao nosso lado.

Os conflitos são inerentes a todo relacionamento. O que conta é a maneira de lidar com esses conflitos. Um dos principais determinantes da felicidade em uma relação amorosa é a capacidade que o casal têm de reparar e sair de situações negativas, pois o saldo das coisas positivas é o que conta. Desejamos estar em par, isto é, num relacionamento a dois, para se ter uma vida mais prazerosa e feliz.

Quero deixar aqui algumas sugestões, que considero fundamentais, em favor de uma melhor convivência, do fortalecimento do respeito e da cumplicidade do casal, pois neste mês das mães, precisamos lembrar que antes de “mamães” somos mulheres!! E como mulheres queremos estar bem com a pessoa que amamos e que está ao nosso lado: essa harmonia do casal faz bem para os dois e reflete também nos filhos, de uma maneira muito positiva e enriquecedora!

Pequenos gestos de carinho e atenção - uma pesquisa demonstrou que os casais felizes demonstram em média cinco atitudes positivas para uma negativa. Interações favoráveis criam conexão entre os dois, facilitam a comunicação, trazem cumplicidade para a relação, contribuindo para um ambiente de satisfação, alegria e afeto.

Generosidade e Bondade – Em um estudo realizado com casais, esses são um dos motivos de sucesso dos relacionamentos e a base que move uma relação até o fim da vida. Casais que agem com bondade e generosidade ficam atentos para criar um ambiente de apreciação e gratidão pelo que o companheiro faz, evitam cobranças, sendo gentil aqui e ali, focando sempre, mas sempre, no que a pessoa faz de positivo. Procure manter a tranquilidade nas conversas, lembrando que não é uma disputa, vocês estão do mesmo lado e não em lados opostos. Não podemos querer sempre estar certo ou ter razão.

Lidar com Conflitos de Interesse - O brilhante matemático John Nash, ganhador do Prêmio Nobel, provou, usando a teoria dos jogos, que poderíamos pensar diferente: uma vez que um jogador não pode melhorar a estratégia seguida pelo jogador adversário, a melhor estratégia é não investir no prêmio maior! Isso se chama equilíbrio cooperativo! E você deve estar se perguntando como isso poderia ajudar nas relações amorosas? É que no campo dos relacionamento amorosos, esse equilíbrio pode ser traduzido por cooperar para encontrar soluções que sejam boas para ambos e não apenas para uma das partes. Em outras palavras, decidir por alternativas que beneficiem a relação, de maneira que os interesses do casal se sobrepõem aos individuais. Com essa decisão, cada um passa a pensar e agir de forma mais generosa, doadora, e os maiores beneficiados serão os dois, pois será uma relação com menos disputa e mais colaboração!

Focar e Valorizar os Pontos Positivos – Os indivíduos que se concentram nos aspectos desfavoráveis de cada um não conseguem enxergar ações positivas do companheiro. Uma característica nítida dos casais felizes é que procuram relevar os aborrecimentos e focar no lado agradável da relação. Afinal, os talentos, as qualidades, os valores, as habilidades, a beleza ou o charme de cada um é que faz o outro se encantar. É nessas características que devemos focar, pois é dessa maneira que admiramos, cada vez mais, nossos parceiros

Saber Ouvir e Olhar – Sempre estamos buscando chamar a atenção e o interesse da pessoa amada. Essas investidas fazem parte da boa relação do casal, e são retribuídas em quase 90% das vezes. Os casais que estão desconectados respondem apenas 30% do tempo. É o momento que optamos por ouvir nosso par compartilhar algo, positivo ou negativo, com a gente, em vez de voltar a atenção para a TV ou para alguma tarefa de limpeza da casa ou para os amigos na rede social. Temos a escolha, em qualquer interação de nos conectarmos com nosso parceiro. Ser bom ouvinte é uma das habilidades mais positivas numa parceria, pois isso despertará a vontade de ser ouvido e compartilhar ou não suas experiências.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo