Conte sua história


O casal deve sempre fazer esse exercício de trazer à memória essas boas lembranças, relembrar bons momentos, atitudes que marcaram positivamente a relação.


Cristina Santos - 29/08/22 -2 min para ler

Casais felizes contam suas histórias com entusiasmo, calor, afeição e respeito um pelo outro. E esse diálogo pode ser muito divertido, cheio de curiosidade e trazer ótimas lembranças.



Em muitas situações já presenciei casais que não se permitem contar suas histórias de vida. Principalmente quando se tratava de outros relacionamentos. Parecia haver ciúmes, de um lado ou de outro, sobre aquelas histórias, onde por uma questão de momento poderia envolver parte da vida amorosa que aquela pessoa viveu, quando o outro não estava.



Eu vejo as histórias de vida de cada pessoa como uma das coisas mais ricas pelas quais podemos nos interessar.


Quando se trata então de um parceiro amoroso, isso fica mais enriquecedor, pois seria através desses relatos que vamos conhecendo quem está ao nosso lado. E essas vivências vão trazendo, revelando em cada expressão ou palavra mais um pouco do que foi vivido e como foi vivido.



Numa vida a dois é preciso que se compreenda que tudo que seu parceiro viveu tem um sentido, faz parte da história de vida dele, foi construindo o que aquela pessoa representa, e assim, tem um valor que precisa ser respeitado pelo outro. Até como fonte de admiração, pois a bagagem que cada um traz deve ser um atrativo na manutenção da relação e do amor.



As memórias ou lembranças detalhadas de uma casal indicam que têm curiosidade ainda com relação ao outro, e também que continuam a entender e respeitar o que é importante para essa pessoa. E que delícia é lembrar a maneira como um casal se conheceu, a maneira como se notaram, o que acontece em seguida até o grande encontro quando formam um casal.



O casal deve sempre fazer esse exercício de trazer à memória essas boas lembranças, relembrar bons momentos, atitudes que marcaram positivamente a relação, percebendo como isso une e aquece a relação. Além de fortalecê-la.



Como também exercitar deixar de lado a ideia equivocada de que o que fez parte da vida amorosa de um ou de outro não pode ser compartilhado ou nem mencionado. Se isso está presente essa relação corre o risco de não se renovar. E acontecer o que aconteceu com a casa dos três porquinhos, quando o lobo mau deu um sopro forte: desmoronou.



Confira outras textos (AQUI) Cristina Santos (31) 3286-8566 | (31) 99127-9382

www.cristinasantospsicologa.com


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo