QUAIS SÃO AS POSSÍVEIS CAUSAS DA REDUÇÃO DO DESEJO FEMININO?

Eu não acredito que houve uma diminuição do desejo feminino. Eu vejo, percebo e ouço uma mulher desejosa em fazer sexo, cheia de fantasias, sonhadora, querendo parcerias amorosas e sexuais. Uma mulher que se cuida, demonstrando ser importante estar bonita e atraente, uma mulher que busca conhecimento, cultural e acadêmico, ter vida própria até para ser interessante para o outro.

O que eu percebo é que há uma diminuição de interesse sexual num relacionamento, por determinado parceiro, num contexto específico. Por exemplo: se não há conexão emocional, o desejo diminui, sim. Se a mulher não admira o homem que está ao seu lado, não tem vontade de fazer sexo com ele. Se ela se sente desvalorizada ou está magoada, não se abre para o sexo.

O que estou enfatizando é que talvez a mídia esteja falando de uma mulher, com menor vontade de sexo, dentro de um relacionamento de casal, onde dependendo dos" humores da vida a dois", o desejo feminino aumenta ou diminui. Caso a relação amorosa esteja ruim, o casal sem sintonia, desconectado, como se estivessem em disputas, lados opostos e não juntos, a mulher dessa relação estará fechada para ser sensual, e olhar para o homem com desejo, e até levá-lo para " umas peraltices sexuais". Não há clima.

QUAIS SÃO AS MANEIRAS DE ESTIMULAR O DESEJO?

Dentro do contexto de um relacionamento, talvez o ponto de partida para o desejo estar afiado, com todo o seu potencial (aqui estamos deixando de lado qualquer problema físico) seja a qualidade da relação. Uma relação amorosa que está arejada, fluindo bem, os dois parceiros em harmonia, felizes com aquele encontro de duas pessoas que se amam e se entendem, o desejo vem naturalmente: ele é estimulado pela própria relação. Se a mulher está bem com seu homem, ela tem vontade e desejo de fazer sexo com ele, de ter e dar prazer, de insinuar e mostrar que sente prazer com ele, de expressar que gosta da maneira como ele a seduz e se entrega ao sexo: e essa dinâmica é extremamente excitante para ela.

A partir disso, o casal busca na sua grande aliada, a imaginação, várias maneiras de ir se conhecendo e se deixar conhecer, na variação em torno do sexo. Nada mais estimulante do que isso, inclusive no dia a dia, para brincar com esse universo sexual. Como diz a música da Marina: "eu e você fazemos um país". Então, nada de acomodação: talvez seja melhor mudar o lugar de se fazer sexo, do que trocar de marido, parceiro ou parceira!

HÁ JEITOS DE FAZER "ACENDER A CHAMA" NOVAMENTE, ESTIMULAR O DESEJO ATRAVÉS DE FANTASIAS OU ATÉ MESMO POR MEIO DE INTERVENÇÃO MÉDICA COM REMÉDIOS?

Se a mulher tem o desejo diminuido por questões emocionais como uma perda significativa, problemas de ordem financeira ou profissional é natural que tenha uma diminuição na libido, pois a energia estará voltada para resolver o problema. Temos que aprender que para fazer sexo precisamos pensar em sexo. Se uma mulher toma como papel principal sua funçao de mãe, ela coloca em segundo ou terceiro lugar seu papel como mulher. Então ela estará sempre priorizando os filhos e o sexo será deixado de lado. E consequentemente, o parceiro.

Volto no que falei anteriormente: primeiro a relação tem que estar fluindo bem. Ai podemos inventar: criar climas especiais para se fazer amor, cozinhar juntos, uma ligação para o trabalho do outro dizendo que não vê a hora de terminar o turno para ficarem juntos, ou uma escapulida na hora do almoço ou à tarde, coisas inesperadas, como algo especial para quando chegarem em casa, se têm filhos pequenos, ajeitar para que eles durmam cedo. E lembrem-se o quarto do casal é sagrado, nada de fazer o quarto virar playground das crianças. Saídas a dois para namorar, ir ao cinema, dançar ou qualquer outra coisa que o casal tenha prazer em fazer e acaba estimulando o desejo e atração sexual. Cavalgadas, caminhadas juntos, uma conversa a dois interessante, compartilhando o dia a dia, café na cama, gestos de carinho, uma massagem relaxante e excitante, um banho gostoso sem hora para acabar... Isto tudo quer dizer priorizar a vida de casal, e "acender essa chama se estiver meio apagadinha".

Porém se a mulher percebe que a libido está diminuida realmente, procure ajuda, um médico, um terapeuta, esclarecer se é psicológico ou físico, se o médico recomendar uso de medicação, ótimo que tenha tratamento, tudo é válido para que a mulher fique bem, sem preconceito. Afinal, nossa missão aqui é ter bem estar, desfrutar da vida, gostar do que fazemos e colocar prazer no nosso dia a dia.

Como diferenciar o problema, para saber quando é necessário usar remédios por falta de desejo sexual?

Se a mulher não tem condições de perceber sózinha, a solução é procurar um especialista. Eu sugiro que primeiro se exclua todas as possibilidades físicas, com o médico, para depois, não havendo nenhum problema nessa área, se vá em busca das possibilidades emocionais.

Aí então, é preciso procurar um psicólogo, para uma terapia, que se for necessário, encaminhará também para um psiquiatra, pois algumas causas

emocionais podem exigir uso de medicação, dependendo do caso. Muitas vezes, somente a terapia resolve.

O que pode causar essa falta de desejo?

É preciso avaliar toda essa sexualidade. Posso citar aqui alguns motivos que podem contribuir para a falta de desejo.

Se olharmos pelo lado físico pode ser alguma variaçào hormonal, mas como falamos anteriormente, principalmente nesse ponto, temos que procurar ajuda médica, em primeiro lugar. E não podemos deixar de falar na menopausa, quando a mulher para de fabricar hormonios, e realmente, a libido vai embora, para a maioria das mulheres. E aí falta alegria para a vida, e como o sexo é um dos nossos grandes prazeres da vida, fica prejudicado.

Com relação ao lado psicológico temos que contextualizar cada caso, pois toda pessoa tem uma história de vida diferente, com crenças individuais, muitas vezes limitantes, e através desse sistema de crenças é que a pessoa vive sua vida e vê o mundo.

Exemplos:

• dificuldade ou inibição em explorar e conhecer o próprio corpo, como se isso não lhe fosse permitido, e aí virá a dificuldade de viver a sexualidade livremente.

• se você não conhece o forma como sente prazer, como vai insinuar ou falar sobre isso para o parceiro? Aí vem a crença: não consigo ter prazer, sou fria, indiferente a sexo.

• olhar para o sexo como algo proibido, sujo ou inadequado.

• mulher para ser "respeitada" não pode mostrar sua sexualidade, não pode ser sensual, não pode expressar isso para o homem, pois será mal interpretada. Aí ela se fecha.

• um momento extremamente difícil por perdas, pressão, normalmente, durante esse período, algumas mulheres têm a libido diminuída.

• algumas vezes, por dificuldades em ter prazer, se conhecer, falar disso com o parceiro, resolver essas barreiras psicológicas, acha melhor "deixar pra lá", "é complicado", e assim, o desejo acaba abafado. Vira um problema.

• baixa auto-estima é outro fator que muitas vezes diminui o desejo feminino par ser vivido com o outro.

Há dados estatísticos sobre faixa etária mais frequente ou "grupo" de mulheres mais suscetíveis que sofrem com a falta de desejo sexual?

O grupo de mulheres mais suscetíveis a perda do desejo sexual é o que está próximo da entrada da menopausa, passando pelo climatério, que é o período que antecede a menopausa, e depois o próprio "mergulho"na menopausa. O climatério geralmente ocorre por volta dos 44 - 46 anos, e se estende por uns 4 anos, e a menopausa por volta dos 50 anos. Mas no climatério já começa a ocorrer muitos sintomas da menopausa, por essa razão, é importante a mulher procurar orientação médica, nos primeiros sinais, porque há tratamentos, hoje, muito eficientes. E pela minha experiência no consultório, uma das primeiras queixas é a diminuição da libido.

E gostaria de dizer para as mulheres que essas questões que são exclusivamente do feminino são elas quem precisam cuidar e resolver. É muito difícil para o masculino entender isso ou ajudar, pois há sintomas físicos e subjetivos. Vale a pena compartilhar e explicar o que está acontecendo, mas não esperar que esse homem, que está ao seu lado, tenha um estoque de paciência para muitas lamúrias, mau humor e tristezas sem fim.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo